08 de agosto de 2017 / 16:16 h

Parceria entre Sala da Mulher e associação de deficientes leva serviços ao Pedra 90 e região

Atendimento em fisioterapia será feito todas as terças-feiras, na sede da Associação Coxiponense de Deficientes

Por Assessoria da Sala da Mulher

A Sala da Mulher da Assembleia Legislativa, presidida por Sônia Meira Botelho, iniciou hoje (8) uma parceria com a Associação Coxiponense de Deficientes (ACD) que levará tratamento em fisioterapia para pessoas do bairro Pedra 90 e região. O atendimento será feito pelo fisioterapeuta Jaime Figueiredo, todas as terças-feiras.  Na solenidade de lançamento do projeto, o servidor Amarildo Monteiro representou o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, e anunciou que, além do atendimento já iniciado, o deputado luta pela reforma de sede da associação.

De acordo com Amarildo, as conversações com o presidente da ACD, Joaquim Bento Mesquita, foram iniciadas em 2016 e agora se consolidam. “Não é 100% do que o bairro precisa e a população merece, mas esse é o início de uma parceria promissora que começa com o atendimento em fisioterapia e vai ser ampliada para outros atendimento em saúde”, disse ele, anunciando também que o presidente da ALMT vai lutar pela reforma da sede da Associação Coxiponense de Deficientes.

O presidente da ACD, Joaquim Bento Mesquita, disse que “é uma felicidade ter o atendimento em nossa sede, porque os deficientes têm que se deslocar até o bairro Porto para o Centro de Reabilitação Dom Aquino Corrêa. Antes tinha no bairro Pascoal Ramos, mas lá o atendimento foi suspenso”. Segundo ele, a associação tem 18 anos de existência, 1,6 mil associados e atende pessoas carentes do bairro Pedra 90 e região.

Leandro Bueno Goltz, morador da rua 56, no bairro Pedra 90, é paciente acometido por problemas de coluna fazia fisioterapia no bairro Pascoal Ramos, onde o atendimento foi suspenso. Agora se diz “muito feliz porque é bem melhor ter atendimento aqui perto de casa do que ter que ir ao Pascoal Ramos, ou até o Porto (bairro Porto em Cuiabá, onde fica o Centro de Reabilitação). Já Maria de Fátima Rodrigues, da rua 31, também  no Pedra 90, resumiu o sentimento geral. “Vai melhorar muito, nosso atendimento fica mais próximo, mais confortável, e a Sala da Mulher, com a dona Sônia, está de parabéns por trazer esse serviço para nós”.

 

Fotos: Assessoria