11 de dezembro de 2017 / 10:48 h

ASSEMBLEIA ITINERANTE

Íntegra do discurso do presidente Botelho

Por Assessoria da Presidência

Cumprimentos e cordialidades habituais.
Quero iniciar minha fala registrando minha alegria, minha felicidade em estar pisando neste solo sagrado, terra dos bororós também conhecidos como índios Cabaçais como denominou os paulista que por aqui passaram, local que mais tarde veio a ser denominada de forma muito apropriada Gleba Paixão, a beleza desta região é tanta que podemos falar “aqui é luz, é raio estrela e luar, é Manhã de sol. Parafraseando um trecho da música fogo e paixão que ficou conhecida no voz do cantor Wando.

Estar aqui hoje congregando com nossa gente dos vales dos Rios: Cabaçal. Rio Branco, Jauru, Guaporé, Paraguai e seus afluentes, para mim enquanto mato-grossense, me faz sentir um misto de emoção e encantamento. Saibam é uma enorme honra para o legislativo deste estado. É uma honra para mim e sei que de igual valor para todos que compõem este expediente e também os nossos colaboradores aqui presentes.

Não posso deixar de falar da importância histórica e econômica desta região para nosso estado, para o nosso país e para o mundo, pois além das belezas naturais: rios, cachoeiras a vizinhança pantaneira, temos ainda o fato de ser uma área habitada desde o século XVIII, onde temos de um lado a primeira capital de Mato Grosso que foi Vila Bela da Santíssima Trindade e do outro o município de Cáceres que foi o primeiro portão de entrada para a colonização do nosso estado, apesar disso aqui onde estamos aqui só foi ser povoada no século XX.

Aqui é berço de gente valente que sempre fez acontecer pois esta região tem origem no movimento de colonização programada do governo estadual iniciado na década de quarenta. Período em que o governo pensando em ocupar esta margem da fronteira criou o Departamento de Terras e a Comissão de Planejamento e Produção – CPP. E assim o Estado vendia terras a preços irrisórios, por sua vez os compradores se comprometiam a abrir estradas e assentar infraestrutura para a colonização, dai a minha referencia a essa valentia e coragem, é gente que não espera vai lá e faz.

Não podemos deixar de falar de Dr. Nelson da Costa Marques homem de coragem que adentrou a mata fechada que cobria o solo e assim percorreu os Vale das Pitas, do Bugre, Água Suja e do Córrego Grande e mediu terras entre os Rios Cabaçal e Jauru, isso ainda lá pela primeira metade da década de 50. Já na segunda metade desta mesma década veio um grupo de imigrantes coreanos e japoneses e adquiriram terra nesta região, a fim de implantar uma colonização modelo. Pretendia situar a sede à margem esquerda do córrego das Pitas e denominaram o lugar de Ituinópolis. Como o projeto não vingou e a maioria foi embora. O Dr. Nelson da Costa Marques, resolveu lotear sua propriedade.

A primeira escritura pública foi lavrada na metade do ano de 1958, um terreno adquirido por Alcides Vidal Salomé. Mas não podemos esquecer de Gabriel Villas Boas, Bertolino Micheles, Írio Mathias, Fumio Itai e Zé Cearense. Dentre esses bravos homens quero citar também as famílias Mamedes, Pimenta, Sato, Tavares, Horácio, Chiquinho Tatu, Benedito Sardinha e outras que aí já na entrada da década de 1960 vieram somar aos primeiros corajosos desbravadores deste local, e assim foram escrevendo a história deste lugar.

Por isso falo aqui tem história construída. Construída na força do braço na coragem e assim esse local foi se fazendo, foi crescendo se fortalecendo tanto que Araputanga vira distrito pela lei estadual nº 3932, de 04 de outubro1977, ainda subordinado ao município de Mirassol d`Oeste. E em 14 de dezembro de 1979 através da Lei Estadual nº 4.153, cria-se o município. Araputanga nome forte que deriva de uma das madeiras mais valiosas do mundo, pois é codinome do Mogno, esta preciosa arvora que já foi abundante nesta região.

Mas quero lembrar também do primeiro nome Gleba Paixão como afirmei antes, e assim cito aqui a romancista inglesa de pseudônimo George Eliot que falou assim “A paixão torna-se uma força quando encontra saída no trabalho dos nossos braços, na perícia da nossa mão ou na atividade criadora do nosso espírito”. Logo se vê chegaram onde estão por serem homens e mulheres que trazem a paixão em tudo que fazem, mas principalmente no trabalho.

Neste ponto me rendo a toda esta região, pois estou falando de todos os municípios aqui presente e os demais circunvizinhos, vocês são bravos, nos orgulha muito, orgulha o estado de Mato Grosso, e por isso hoje é uma das mais importantes bacias leiteiras do Brasil sem falar no gado de corte, na agricultura familiar e tantos outros produtos agrícolas, além do comercio e da educação. Podemos dizer, vocês realmente são fogo e paixão.

Por isso que estar aqui hoje, além de ser um privilégio para nós do poder legislativo mato-grossense, é também uma obrigação do legislador, pois entender a história, visitar o presente e escrever o futuro do Estado é nosso dever. Um povo que não sabe aonde quer chegar não sabe por onde caminhar. E é juntos no diálogo, na democracia participativa que construiremos novas perspectivas para nosso futuro, para as futuras gerações e assim para o futuro de nosso estado. Precisamos estar onde estão os homens e mulheres que sustentam este estado e esta nação. Sentimos orgulho de vocês.

Agora quero me dirigir a toda a população de Araputanga, me dirigir ao nosso prefeito Joel Marins de Carvalho, ao vice prefeito Enilson Rios, ao presidente da Câmara de Vereadores, Oswaldo Alvarez de Campos Junior, assim como aos demais vereadores, prefeitos e vereadores das cidades vizinhas, Mirassol do Oeste, São José dos Quatro Marcos, Indiavaí e Figueirópolis D`Oeste, me dirigir as demais autoridades aqui presentes para agradecer a hospitalidade, a forma como fomos recebidos. Desde já nosso muito obrigado.

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso veio aqui com o objetivo de trazer os trabalhos parlamentares junto com a prestação de serviços, através de instituições parceiras, e realizar sessões plenárias especiais, aproximando o Legislativo ainda mais da população e fortalecendo essa interação.

Mas vamos além com essas ações que iniciamos ainda no final do ano de 2015, no polo de Comodoro, depois na região de Rondonópolis, Sinop, Tangará da Serra, Diamantino, Várzea Grande, Cáceres, Campo Verde, Barra do Bugres, São José do Rio Claro, Rosário Oeste e agora aqui em Araputanga o décimo segundo encontro, já são mais de cinquenta por cento de municípios atendidos. É assim que junto com vocês vamos fazendo o replanejamento de nosso estado para, pelo menos, os próximos 30 anos.

Por isso que no dia de hoje tivemos ações de cidadania na escola Municipal Rodolfo Trechaud Curvo no Bairro São Sebastião e palestras nas áreas de saúde e educação, na Escola Estadual João Sato que fica no centro. Aqui, na Câmara Municipal, estivemos com prefeitos e vereadores e líderes de Araputanga, Mirassol do Oeste, São José dos Quatro Marcos, Indiavaí e Figueirópolis D`Oeste. Agora à noite esta cerimônia de merecidas homenagens aos senhores.

A Assembleia Legislativa do Estado, através desta presidência e de nossos pares, já vem trabalhando de forma firme para resolver os grandes problemas dos nossos municípios, sem nunca esquecer do nosso futuro: leis ambientais para facilitação de produção e empregabilidade, logística, turismo, industrialização, mineração, extrativismo, urbanização e tudo o que vocês nos apresentam não deixamos parado.

Vamos trabalhar muito para levar as demandas até aqui apontadas como emergenciais envolvendo saúde, educação, esporte, segurança e infraestrutura, tais como a recuperação por completo das rodovias MT 175 e MT 248, falamos também da necessidade de ter mais lama asfáltica para recuperar as ruas das cidades. Na segurança comentamos a necessidade de reativação da delegacia de Polícia Civil em Figueirópolis D´Oeste, da necessidade de construção do muro no batalhão da Polícia Militar aqui em Araputanga. Na saúde estamos levando a reivindicação de melhoria no atendimento e na questão da regulação de paciente e também da necessidade de aquisição de uma Van ou micro ônibus para o transporte de pacientes, com o mínimo de 22 lugares. Na educação recebemos a reivindicação de apoio para reforma do telhado nas creches Moradas dos Pequeninos e Pingo de Gente assim como as melhorias na escola Cleuza Braga Hortência entre outras.

A assembleia itinerante e mais que um contato com todo Mato Grosso, iniciamos um novo jeito de legislar, que é ir onde as pessoas estão e conversar com elas para sabermos suas necessidades, seus sonhos e suas vontades e o que elas querem para si e para seus filhos e netos.

Vi e vivi tantas coisas belas e tanta beleza neste lugar que concluo minha fala com versos do soneto 18 de William Shakespeare:

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Às vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

Obrigado a todos

 

Fotos: Maurício Barbant - Assessoria de Imprensa da Presidência