29 de Janeiro de 2018 / 11:45 h

EQUIPE TÉCNICA

Botelho pede ajustes nas metas durante contingenciamento

Governo vai contigenciar o custeio dos poderes, retirando 20% durante quatro meses

Por   ITIMARA FIGUEIREDO – Assessoria de Imprensa da Presidência

Em reunião na manhã desta segunda-feira (29.01), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), pediu a equipe técnica da Secretaria de Finanças da Casa de Leis, ajustes necessários para enfrentar o contingenciamento de recursos, priorizando o pagamento de salários de servidores e de fornecedores.

“Discutimos as metas de acordo com o contingenciamento, para que as finanças da Assembleia Legislativa fiquem dentro do planejado, ou seja, vamos priorizar o pagamento de salários de servidores e fornecedores. Para isso, o presidente reforçou a necessidade de economizar ainda mais para o cumprimento do calendário, sem perder as rédeas nesse momento de crise que afeta o país”, afirmou o secretário de Finanças da ALMT, Ricardo Adriane Oliveira, ao agradecer a compreensão de todos.

Na última sexta-feira (26.01), durante reunião com o governador Pedro Taques (PSDB), os chefes dos Poderes Constituídos se comprometeram a ajudar. Conforme Botelho, o governo fará a contenção no custeio dos poderes (duodécimo), retirando 20% durante quatro meses, também não pagará o custeio de janeiro. A previsão é que a partir de maio comece a recomposição para que até o final do ano essa diferença seja totalmente devolvida aos poderes, dentro dessa legislatura.

“Esse é o acordo, não é uma proposta boa para nós, mas é o que dá para fazer segundo o governo. Esperamos que seja cumprido a partir de maio, senão complicará muito para os poderes”, disse Botelho, ao destacar que há expectativas de melhora da economia, inclusive, com a safra recorde de Mato Grosso no ano passado, embora a arrecadação ainda não corresponda as expectativas. “Vamos trabalhar com a expectativa de que será cumprido o acordo”, finalizou Botelho.

 

Fotos: Maria Dulce