22 de novembro de 2018

HOMENAGEM

AL aprova projeto que homenageia jornalista com nome de escola

Por ITIMARA FIGUEIREDO – Assessoria de Imprensa da Presidência

A Assembleia Legislativa aprovou, em primeira votação, o projeto de lei 515/17 que dá o nome do jornalista Paulo Maria Ferreira Leite, in memorian, à Escola Estadual do bairro São Simão, em Várzea Grande. Com parecer favorável da Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto a proposta foi aprovada nesta quarta-feira (21.11).

De autoria do presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM), a homenagem é alusiva ao grande legado deixado por Paulo Leite para Mato Grosso. Paulo Maria Ferreira Leite nasceu em Itacaré, em São Paulo, em 10 de julho de 1959 e faleceu em 23 de abril de 2014.

“Paulo Leite mudou-se para Cuiabá no início da década de 1980, onde constituiu família e construiu uma invejável carreira de sucesso na área da Comunicação Social. Foi jornalista, escritor, poeta e, principalmente, brilhante profissional de marketing eleitoral reconhecido nacionalmente”, diz trecho do projeto de lei.

Destaca ainda a trajetória de Paulo Leite no cenário regional, especialmente, nas campanhas eleitorais. Uma delas, em 1982, quando foi assessor de imprensa de Júlio Campos à disputa ao governo de Mato Grosso. Em 1986 participou da campanha de Padre Pombo ao Senado da República e em 1990 coordenou a área de marketing do atual senador eleito Jaime Campos. Em 1991 e 1995, respectivamente, comandou as secretarias de Comunicação do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa.

Renomado profissional de Comunicação, Paulo Leite também atuou, em 1998, como coordenador de propaganda do candidato Júlio Campos ao governo. Em 2002, colaborou na campanha do senador Antero Paes de Barros ao Palácio Paiaguás. Também chefiou a área de propaganda das eleições de 1996 e 2000 do ex-prefeito Jaime Campos, em Várzea Grande. Em 2006 comandou a campanha vitoriosa do então senador Jaime Campos.

Também coordenou o marketing da campanha da prefeita Lucimar Campos à Prefeitura de Várzea Grande em 2012. “Paulo Leite foi repórter político de ofício, mas cultivou o terreno fértil da publicidade, tendo produzido inúmeras peças para as mídias impressas e televisivas. Trabalhou no Diário de Sorocaba, em São Paulo, onde ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores”, destaca Botelho na proposta, que foi amplamente defendida pelo deputado Wilson Santos durante a votação.

Em Cuiabá, atuou nos jornais do Dia, de Mato Grosso e Equipe. Comandou a TV Cidade Verde (SBT) e foi diretor de criação da Época Propaganda; diretor-proprietário da Produtora Canal Um e consultor no Senado Federal.

Além disso, seu vasto curriculum incluem dois livros publicados: “Em Busca do Arco-íris”, dedicado ao público infantil; e “Parece que foi assim…”, com crônicas humorísticas da política mato-grossense.

“Diante desse grandioso trabalho de Paulo Leite para Mato Grosso é que aprovamos este Projeto de Lei”, defendeu Botelho.