20 de março de 2018

RECONHECIMENTO

Botelho e Allan Kardec realizam sessão alusiva ao Dia da Mulher

Homenageadas receberam moções de congratulação em noite especial

Por   ITIMARA FIGUEIREDO – Assessoria de Imprensa da Presidência

As comemorações alusivas ao Dia Internacional da Mulher foram encerradas na Assembleia Legislativa, em noite glamorosa, com a entrega de moções de congratulação às mulheres que contribuem com o desenvolvimento de Mato Grosso. De autoria dos deputados Eduardo Botelho (presidente da ALMT) e Allan Kardec, aproximadamente 400 mulheres foram homenageadas, no Plenário Deputado Renê Barbour, nesta segunda-feira (19.03), ao som do Coral dos Servidores da AL, sob a regência do maestro Carlos Taubaté.

Em seu discurso, Botelho disse que na qualidade de cidadão, faz questão de congratular com as mulheres cuiabanas, mato-grossenses, brasileiras, e também, para falar da importância da mulher na sociedade e de suas lutas. Lembrou que o dia 08 de março, embora relembre a data de uma ação cruel contra as mulheres, é também um marco simbólico do grito por justiça e igualdade. E considera que a data representa a oportunidade de externar o reconhecimento da importância de um ser humano sublime e singular.

“A grandeza delas transcende este dia porque estão conseguindo superar o preconceito da sociedade masculina implementado ao longo dos séculos. O mundo muda para melhor a partir do momento em que a mulher torna-se agente ativo na sociedade. O humano evolui com mais rapidez quando a mulher se torna protagonista de sua própria história e da história da humanidade. Por isso vamos aproveitar este momento para, além das homenagens, avançarmos mais nestas conquistas”, destacou Botelho.

Policial há 20 anos, Juliana Morais, atua há 12 anos na Casa de Leis e foi uma das homenageadas. “A Assembleia Legislativa está de parabéns pela iniciativa. É muito bom ser lembrada!”, comemorou, ao destacar que na corporação as mulheres são tratadas da mesma forma que os homens executando a mesma função.

A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, destacou a iniciativa por valorizar a força da mulher na sociedade. A Prefeitura Municipal de Cuiabá também realizou extensa programação alusiva à data. Ela lamentou o alto índice de violência contra a mulher em Mato Grosso. Neste ano, o aumento é 100% em relação ao ano passado. “Uma triste realidade, por isso temos que encampar essa luta e ajudar para que o mesmo não aconteça com novas vítimas. Também temos que homenageá-las fazendo com que a mulher seja cada vez mais atuante na política, mesmo sabendo das dificuldades existentes para o ingresso”.

Glaucia Amaral, corregedora da Procuradoria Geral do Estado, falou em nome das homenageadas. “A mulher ainda está se afirmando na sociedade, tanto no mercado de trabalho, quanto no exercício de cargos de chefia, muito embora tenhamos setores em que isso esteja bastante avançado. A possibilidade de acesso ao estudo fez com que evoluísse, mas ainda há um trabalho muito grande a ser feito. A exemplo do número de feminicídio em Mato Grosso que é muito alto. Por isso, é importante eventos como esse para se falar sobre o que acontece no dia a dia”, destacou.

Defensora pública e coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher, Rosana Leite, informou que houve aumento na violência doméstica familiar. “Não sabemos se o aumento na estatística se deve a mulher confiar na legislação. Ou se realmente tivemos aumento na violência. Eu reputo que a violência sempre existiu, mas elas estão confiando muito mais na eficácia das leis e estão buscando amparo do poder público”, explicou.

O deputado Allan Kardec acredita que o evento fecha com maestria os trabalhos em homenagem ao Dia da Mulher. “É um momento importante, pois firma o compromisso de que a mulher precisa estar onde ela queira estar e a política é um desses locais”. Embora reconheça a pouca participação, o parlamentar acredita que a questão seja multifatorial. “O Brasil é composto com mais de 50% de mulheres e não temos 10% da participação feminina nos parlamentos. Na área da Justiça já houve avanço significativo, mas a política ainda é conservadora e machista, e precisamos quebrar isso trazendo a discussão à Assembleia. Temos que incentivar para que elas sejam protagonistas no processo eleitoral”, finalizou.

Fotos: MAURÍCIO BARBANT