21 de julho de 2017

QUALIFICAÇÃO

Mulheres do bairro Serra Dourada concluem curso de pintura em tecido

Formação foi oferecida pela Sala da Mulher, em parceria com a Associação de Moradores, para contribuir com a complementação de renda das famílias

Por PRISCILA MENDES / Secretaria de Comunicação

A primeira turma de cursos de artesanato, entre uma série de formações firmadas por parcerias entre a Sala da Mulher e associações de moradores de alguns bairros de Cuiabá e região, concluiu as aulas na tarde de ontem (20/07). São 12 mulheres – com idades entre 13 e 63 anos, moradoras do bairro Serra Dourada (região do CPA, em Cuiabá) – a incluírem nas possibilidades de complementação de renda a pintura de tecidos.

O curso, que ofereceu habilidades não só de pintura de tecidos, mas de técnicas das artes plásticas, foi realizado na Associação dos Moradores da Serra Dourada (AMSD), por demanda da própria entidade. A Sala da Mulher acolheu o pedido e ofereceu material necessário (tinta, tecidos, pincéis, etc), além de buscar quem pudesse ministrá-lo.

A diretora da Sala da Mulher, Daniella Paula Oliveira, em nome da presidente de honra Sônia Meira Botelho, explicou que o curso compõe uma série que ainda deve contemplar outras cinco associações de moradores e prevê formações em ‘confecção de camisetas’, ‘elaboração de cartão estilizado’, ‘pintura em tela’ – todos esses, assim como o de ‘pintura em tecidos’, de um mês, duas vezes por semana –, workshops de automaquiagem e maquiagem profissional e de oratória, além de um curso de teatro para idosos (no bairro Campo Velho). Daniella explica que o objetivo “não é só ensinar artesanato, a ideia é gerar renda extra”.

A presidente da associação do Serra Dourada, Nilda Lopes, registrou que a escolha das alunas considerou a participação das mulheres na entidade, bem como buscou incentivar a participação em tal atividade pelas adolescentes. Nilda narrou que, depois do curso, as interessadas continuarão a produção, especialmente de guardanapos, ajudando umas às outras e ensinando para as demais. A primeira etapa é arrecadar para a própria manutenção do aprendizado em grupo: “O nosso objetivo é vender [os produtos], comprar mais material e continuar ajudando [as moradoras do bairro]”.

A professora dos cursos de artesanatos, Daniela Cunha, segundo a ‘xará’ diretora da Sala da Mulher, foi escolhida a dedo: além da formação superior em Artes, ela firmou parceria voluntariamente – recebe, apenas, ajuda de custo como contrapartida. A artista plástica garante: “Quando a gente se doa para o próximo e a gente pode ver o sorriso no rosto das pessoas, a gratificação é maior… dinheiro nenhum paga!”. Daniela Cunha destaca também o papel de psicoterapia da arte: “aqui com as tintas, elas podem expressar o que não conseguem com as palavras”.

Dona Maria Medeiros, de 63 anos, está muito feliz com o resultado do aprendizado. Ela já desenvolve várias atividades com as mãos – decoração de chinelos, confecção de ‘cobre-alimentos’, mas é a primeira vez que faz curso de pintura e já vislumbra aplicar em outros espaços: “o bom de aprender pintura é porque você aprende várias técnicas”.

Nesse último dia de aula, a diretora da Sala da Mulher agradeceu a presença e dedicação de todos os envolvidos no projeto no bairro Serra Dourada e destacou que a Assembleia Legislativa segue de portas abertas para todos e que a Sala da Mulher continuará firmando parcerias com as associações de moradores. Com os próximos cursos previstos, já há programação até o fim do ano

Fotos: FABLÍCIO RODRIGUES