27 de agosto de 2019

MÉDIO-NORTE

Prefeito pede intermédio de Botelho para manter hospital em Barra do Bugres

Unidade atende 10 municípios da região, tendo em média 215 internações mensais

Por Itimara Figueiredo / ALMT

O prefeito de Barra do Bugres, Raimundo Nonato pediu apoio do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), junto ao Governo do Estado para garantir o funcionamento do Hospital Regional Roosevelt Figueiredo Lira, que está na iminência de ser transferido para Tangará da Serra, cidade distante a 70 quilômetros.

Acompanhado do secretário municipal de Saúde, Fábio Rezende, do vice-prefeito, Gustavo Cruz, e do engenheiro civil, Gilmar Cipriano, o prefeito destacou a importância do hospital para os moradores da região, durante reunião nesta terça-feira (27), na Presidência da ALMT.

“Não queremos que o hospital saia de Barra do Bugres. Viemos conversar com o deputado Botelho, que é o nosso grande representante e está muito disposto a nos ajudar”, afirmou o prefeito Nonato.

De acordo com o secretário Rezende, em média, o hospital recebe 215 internações por mês, tendo como principal atendimento cirurgias eletivas. Mas, explicou que a Secretaria Estadual de Saúde já manifestou a possibilidade dessa unidade migrar para Tangará da Serra.

“Buscamos ajuda com o deputado Botelho para tentar reverter esse quadro. Temos um hospital municipal de referência regional. Hoje, o comando está sob consórcio intermunicipal de saúde, mas a gestão já está sendo devolvida ao estado. Então, falta o estado declarar a partir de quando assumirá o hospital de Barra do Bugres, que tem toda estrutura necessária para continuar mantendo os atendimentos à população”, afirmou o secretário de Saúde, ao destacar que Tangará da Serra ainda não tem estrutura para comportar o hospital regional.

Além de Barra do Bugres, a unidade de saúde também atende moradores de Tangará da Serra, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Nova Marilândia, Santo Afonso, Arenápolis, Denise, Nortelândia e Porto Estrela. “É uma demanda muito grande, onde temos uma média de 2,6 mil internações por ano, sendo que somente a demanda de Barra do Bugres atinge 60%”, concluiu Rezende.

Fotos: Mauricio Barbant / ALMT