11 de abril de 2017

SOCIAL

Sala da Mulher firma parceria com Instituto de mulheres negras de MT

Para Antonieta, é preciso estreitar o dialogo entre as instituições e o poder público

Por ANA PAULA SOARES/ Assessoria da Sala da Mulher

A presidente do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (Imune), Antonieta Luisa Costa esteve ontem (10), na Sala da Mulher da Assembleia Legislativa para propor uma parceria entre a Casa de Leis e a entidade. Em reunião com a coordenadora da Sala, Daniella Paula Oliveira, Costa foi firmada uma parceria para a realização de oficinas e cursos voltados ao empoderamento da mulher negra no período que antecede o dia 25 de julho, dia em que se comemora o Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, e também o Dia de Tereza de Benguela.

Para Antonieta, é preciso estreitar o dialogo entre as instituições e o poder público. Essa parceria que esta sendo proposta, de acordo com ela, serve para levar aos chefes de Estado e representantes políticos a necessidade de interação e discussão sobre politicas que atendam com mais sensibilidade à necessidade das mulheres negras.

“Nós representamos o fortalecimento em Mato Grosso da luta pela igualdade e contra o preconceito, uma vez que a entidade trabalha com o objetivo de orientar, dinamicamente, o processo de crescimento das mulheres negra e busca o reconhecimento dos valores históricos, sociais e culturais das comunidades afrodescendentes no estado. Estar com a Sala da Mulher nessa luta só fortalece ainda mais nosso projeto”, destacou a presidente.

Daniela Paula fechou a reunião com o compromisso de fortalecer o movimento das mulheres e uma agenda foi marcada para definição e planejamento das ações que serão realizadas. Sandra Regina de Oliveira e Elaine Alves Perreira, servidoras da AL e militantes do movimento também participaram da reunião.

Imune

O Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso  (IMUNE) é uma Organização Social (OS) sem fins lucrativos, fundada em 2002 e legalmente constituída em 2007, que tem como objetivo orientar dinamicamente o processo de crescimento das mulheres negras para sua inserção no cenário econômico, político e social.

Dia 25 de Julho

O dia 25 de julho celebra o Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha. A data foi criada em 25 de julho de 1992, durante o primeiro Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, em Santo Domingos, República Dominicana, como marco internacional da luta e da resistência da mulher negra.

No Brasil, a data também é nacional, foi instituída por uma Lei de 2014, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra.

Tereza de Benguela

Tereza de Benguela foi uma importante líder quilombola que viveu durante o século 18. Os quilombos eram formados por aldeias de escravos que fugiam das fazendas. Ela era casada com José Piolho, que chefiava o Quilombo do Piolho ou Quariterê, nos arredores de Vila Bela da Santíssima Trindade, no Mato Grosso. Quando o marido morreu, ela assumiu o comando da comunidade, revelando-se uma líder.

Foto: Ana Paula Soares

Fotos: Ana Paula Soares