MALHA FÉRREA

Atuação da ALMT é destaque durante assinatura de contrato da 1ª ferrovia estadual do Brasil

Deputado Botelho discursou em nome da Casa de Leis e destacou a aprovação da PEC que deu condições normativas para a execução do projeto. ALMT é pioneira nessa ação

A atuação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso foi destaque durante a cerimônia de assinatura do contrato para construção, implantação e exploração da 1ª Ferrovia Estadual do Brasil, que vai interligar trechos de Mato Grosso, evento realizado nesta segunda-feira (20), no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

A ALMT deu condições normativas para autorizar o governo do estado a realizar o empreendimento, que vai ligar trechos de Rondonópolis a Cuiabá e de Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, conectando a malha ferroviária nacional, num investimento previsto de R$ 11,2 bilhões.

O CEO da Rumo S/A, companhia ferroviária e de logística brasileira, presidente João Alberto de Fernandes Abreu, destacou o trabalho dos deputados, para alavancar esse projeto que deverá gerar, conforme estudos realizados pela Rumo, mais de 230 mil empregos, com investimentos 100% privados.

“Vejo a postura da Assembleia como inovadora, como pioneira ao trazer para o estado uma proposta de emenda complementar que permite ter esse tipo de alternativa. O que vemos aqui no Mato Grosso é um estado com uma capacidade de gestão, de fato, inspiradora. Hoje é um estado que está entre os melhores ranqueados do ponto de vista fiscal, superávit, dinheiro em caixa e trabalhando em conjunto com a Assembleia Legislativa”, reconheceu o presidente da Rumo.

O primeiro-secretário da Mesa Diretora, deputado Eduardo Botelho (DEM), discursou em nome dos deputados estaduais. Ele que é autor da Proposta de Emenda Constitucional 16/2020 que alterou a Constituição de Mato Grosso possibilitando concessões ferroviárias dentro do estado. Também são autores dessa PEC a deputada Janaina Riva e o deputado Carlos Avallone.

 “Trata-se de uma ação sólida, embasada legislativamente e que tem seguido um rito criterioso, para conferir segurança jurídica a este empreendimento de competência eminentemente estatal. Vai melhorar muito a nossa condição logística, a competitividade das nossas empresas e baratear os custos dos produtos”, comemorou Botelho, ao lembrar que ALMT se tornou referência para outros estados, um deles é Minas Gerais que já se inspirou no projeto.

“É histórico registrar que eu e o senador Jayme Campos levamos essa ideia para a Assembleia Legislativa. Foi exatamente o deputado Botelho, a deputada Janaina e o Max Russi que envolveram a todos para conseguir aprovar a Emenda Constitucional na Assembleia Legislativa e, depois a regulamentação. Com isso, temos aqui um ato reconhecido pelo Governo Federal, porque depois de muitas tratativas, conseguimos mostrar que Mato Grosso tem condições de liderar esse processo. Representa investimentos de bilhões de reais que vão gerar muitos empregos e desenvolvimento. Por isso, essa parceria da Assembleia Legislativa foi fundamental, principalmente, do deputado Botelho em acreditar e fazer com que toda a Assembleia se envolvesse nesse processo”, disse o senador Wellington Fagundes, ao destacar que a inciativa resgata a história com Cuiabá, à luta do senador Vicente Vuolo.

De acordo com o governador Mauro Mendes, a assinatura representa um salto para o progresso. “Compartilho essa felicidade com todos aqueles que trabalharam para isso, a Assembleia Legislativa, a bancada federal e equipe do governo, todos aqueles que de alguma forma direta ou indireta ajudaram a construir essa realidade que vai ser histórica, não só pelo fato que representa, mas pelos desdobramentos futuros, pelo crescimento econômico, pela geração de emprego, redução de custo, poder permitir que a indústria mato-grossense e o comércio tenham um modal de transporte mais barato, chegando até a sua capital e no coração central do estado que é a região médio-norte”, afirmou o governador.

Assinaram o contrato o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, e o diretor da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager), Wilber Norio Ohara. A Agência será responsável pela fiscalização do andamento dos serviços.